NEUROMETRIA FUNCIONAL

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

A Neurometria Funcional é uma metodologia que utiliza técnicas reconhecidas mundialmente e que tem como objetivo realizar as Análises Funcionais, os Treinamentos do Sistema Nervoso Autonômico (com sensores  periféricos) e Cognitivo (com sensores na cabeça), visando melhorar a Saúde Física, Mental, Emocional e potencializar a Alta Performance.

neurometriaO Sistema Nervoso Autônomo (SNA) apresenta um equilíbrio substancial entre a sua capacidade de demanda (física ou psicológica) e a capacidade de resposta (adaptação).
Condições que oscilam entre o fracasso e a satisfação (dessa demanda) geram consequências importantes na saúde de um indivíduo.

Essas consequências podem gerar vários tipos de distúrbios funcionais como: estresse físico, estresse psíquico, sobrecarga fisiológica, monotonia, disfunções crônicas e processos agudos.
Essas situações desencadeiam diferentes respostas em diferentes organismos e dependendo da forma com que o indivíduo responde ou trata essa resposta, pode se transformar num estresse positivo (eustresse) ou negativo (distresse).

No Eustresse, o esforço de adaptação gera sensação de realização pessoal, aumento da capacidade de concentração, agilidade mental, bem-estar e satisfação das necessidades, mesmo que decorrente de esforços inesperados. É um esforço sadio na garantia da sobrevivência e qualidade de vida.

Se ocorrer o contrário, desencadeia uma resposta adaptativa inadequada, podendo gerar sensações de derrota, medo, angústia, insegurança, confusão mental, distúrbios musculares, aumento da probabilidade de acidentes, não-criatividade, distúrbios funcionais, doenças e em casos extremos a morte. Essa deficiência adaptativa é chamada de Distresse.

Nos extremos é fácil distinguir o Eustresse do Distresse, por exemplo:
uma relação sexual prazerosa é claramente diferente da perda de um filho. Mas em muitas destas situações não é tão fácil fazer esta distinção, pois irá depender da forma como o indivíduo enxerga o mundo e também de como ele cuida dos vários aspectos da sua vida  (físico, mental, emocional, espiritual, alimentar, etc.)

Análise funcional do sistema cerebral  proporcionada por esta metodologia, vai averiguar padrões da saúde como reserva funcional, intolerância alimentar, condições cardio-funcionais, controle da ansiedade, memória, foco, aprendizagem, raciocínio, nutrientes, oxigênio, obesidade, pânico, etc.

A resposta autonômica é a primeira de muitas reações de ordem Fisiológica, Física e Emocional, como também dos sinais precoces de diversas Patologias ou das Desordens Funcionais.
É muito importante ressaltar que esta análise funcional denominada D.L.O. é impar em compatibilidade para detectar sinais precoces do desenvolvimento de Patologias, Desordens Funcionais e da avaliação do impacto que uma intervenção, terapia ou técnica profissional apresenta sobre o cliente, as quais não podem ser reveladas por um exame físico rotineiro.

O organismo ao receber um estímulo (levantar), reage imediatamente disparando uma série de reações via sistema nervoso, endócrino e imunológico, através da estimulação do hipotálamo e do sistema límbico. Estas estruturas que compõem o sistema nervoso central (SNC) relacionadas com o funcionamento dos órgãos e regulação das emoções, tem por finalidade a estabilidade do organismo. A metodologia utiliza este conceito de estimulo para realizar a sua análise funcional.

Por fim, o resultado final do DLO (Decúbito dorsal – Levantar – Ortostático) representa uma resposta fisiológica ao estímulo estressor ocasionado pela manobra de posições (levantar), aonde o organismo é submetido a um estímulo que pode ameaçar a sua homeostase. O SNA tende a reagir apresentando um conjunto de respostas funcionais específicas, que podem ou não constituir um distúrbio funcional, assim como, uma excelente capacidade adaptativa. A interpretação técnica dos resultados da Análise Funcional do DLO poderão comprovar a possibilidade de distúrbios funcionais ou a capacidade adaptativa do individuo.
———————————————————-
por: Dr. Nelson Alves
.Presidente da Sociedade Brasileira de Neurometria FuncionalEspecialista em Medicina Comportamental – UNIFESP
.Especialista em Medicina Bioquímica – FAPES
.Técnico inscrito na ANVISA para desenvolvimento e supervisão de equipamentos Eletro-médicos
.Membro do Instituto Internacional da Dor
.Coordenador do curso de Pós Graduação em Neurometria Funcional
.Cientista na área de Neurofisiologia Computadorizada

!

twittergoogle_pluslinkedinrssyoutube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *